página Inicial CDS Brasil
Serviços
Links Úteis Parceiros Contato
espaço
Notícias  >>  Entrevistas
Consultor financeiro

Agora há pouco você se deu conta de que a nota de R$50 que tinha na carteira não está mais lá? E o pior: você nem lembra onde gastou? É hora de contratar um personal financial advisor. Traduzindo: você precisa de um consultor de finanças pessoais. É ele quem tem ajudado muita gente quando o assunto é dinheiro. A manutenção da saúde financeira tem sido difícil nos dias atuais. Apelos do consumo, créditos fáceis e parcelamentos fazem com que os consumidores caiam em um buraco negro e quase sem volta. A educação financeira é ainda um tema pouco conhecido, o que também dificulta ainda mais a implantação do planejamento financeiro pessoal ante às inúmeras decisões a serem tomadas. Um personal financial advisor cabe no seu bolso?

Com o aquecimento da economia e o aumento da renda do trabalhador, o consultor financeiro pessoal ganhou espaço no Brasil. "A busca pelos clientes de alta renda por bancos, corretoras e gestoras de recursos impulsionaram, nos últimos anos, um segmento de mercado para o atendimento das pessoas que não podiam usufruir das taxas diferenciadas, de produtos personalizados e de vantagens de um atendimento exclusivo devido à sua renda. Desta forma, surgiram as boutiques de investimentos e os profissionais de aconselhamento financeiro não vinculados a instituições financeiras, trazendo ao alcance do grande público serviços personalizados e atendimento exclusivo", conta Ronan Bonnemasou, da consultoria capixaba Somainvest.

O profissional procurará entender a demanda do cliente e traçar a sua vida financeira. Trata-se de um aconselhamento que leva em consideração uma série de fatores relacionados a este cliente. 

Os consultores são, na maioria dos casos, profissionais autônomos - economistas, contabilistas e egressos do mercado financeiro. O papel do consultor de finanças pessoais é orientar as pessoas sobre gastos desnecessários, quitação de dívidas e auxiliar no planejamento da vida financeira. Ele atua através de consultas com os clientes para lidar com tudo o que estiver, de alguma forma, relacionado com as finanças de uma pessoa ou de uma família. É necessário, antes de qualquer procedimento, fazer um check up financeiro. "O profissional procurará entender a demanda do cliente e traçar a sua vida financeira. Trata-se de um aconselhamento que leva em consideração uma série de fatores relacionados a este cliente", explica o professor da Fundação Instituto de Administração e consultor de finanças pessoais Caio Torralvo.

Estes fatores e objetivos precisam ser rigorosamente esmiuçados para que o consultor inicie o trabalho. Talvez o cliente chegue com um objetivo específico como, por exemplo, quanto deve economizar por mês para se aposentar com uma renda X. O consultor, para responder a essa pergunta, precisa fazer uma série de outros questionamentos ao cliente. Assim, é possível entendê-lo melhor em suas necessidades, seus desejos e suas restrições. "Costumo dizer que, sempre que um cliente me faz uma pergunta, respondo com umas 20", conta Torralvo.

Geralmente, a maioria das pessoas só recorre a este tipo de profissional quando há alguma crise financeira: descontrole nas contas, dívidas, receio de ser demitido, ausência de poupança e fundos de emergência, e dúvidas sobre produtos financeiros. Entretanto, o consultor auxiliará também quando o cliente receber um aumento de salário, ações ou títulos, que não tenha conhecimento de como manter ou quando a caderneta de poupança tiver um saldo considerável, que mereça um outro tipo de tratamento para fazer o dinheiro render mais.

Se o cliente já tem investimentos, o papel do consultor é analisá-los para ajustar a cartela aos seus objetivos, indicando as melhores opções ou investindo para quem o contratou. A empresária Virgínia Almeida decidiu contratar uma consultoria para cuidar do seu dinheiro quando quis fazer uma aplicação mais agressiva, mas não sabia por onde começar. "Não me arrependo. O dinheiro foi movimentado e os investimentos sugeridos deram um excelente retorno", atesta. 

De acordo com a consultora Carla dos Santos, da CDS Brasil Soluções Financeiras, o trabalho pode variar de acordo com a maneira de atuação. A consultoria financeira pessoal sem gestão direta de carteira propõe o aconselhamento ao cliente, deixando que ele mesmo invista onde achar prudente. Já na consultoria com gestão de carteira, o profissional devidamente habilitado opera em nome do cliente. Existe, ainda, os chamados "Family Offices", que são escritórios especializados em gestão de fortunas, que incluem ativos financeiros e imobilizado, podendo ou não ter a gestão da carteira de investimentos do cliente.

Segundo Caio Torralvo, é sempre hora de contratar um consultor financeiro pessoal. "Ele é um profissional que tem como meta acompanhar a evolução de seus clientes, em momentos de alta e baixa e ter uma visão de longo prazo. Nesse panorama econômico atual, quem já tem o acompanhamento de um planejador financeiro pessoal tem o benefício de estar com a vida financeira mais programada e, nessa programação, estão embutidos investimentos de acordo com os objetivos do cliente", analisa.

Essa atividade surgiu para suprir uma necessidade advinda dos últimos anos. Os motivos para não procurar tais profissionais são apenas culturais. É um segmento de mercado que oferece a vantagem com em taxas diferenciadas, produtos personalizados e vantagens de atendimento exclusivo.

Outros profissionais fazem coro. "A figura do consultor é sempre bem vinda, pois além de se tratar de uma pessoa com experiência, duas cabeças sempre pensam melhor do que uma. O consultor pode ajudar nas mais variadas situações, pois tem contato direto com outras pessoas do mercado financeiro e as informações sempre vêem sem influências, totalmente filtradas por esse profissional que, obrigatoriamente se mantém atualizado sobre qualquer mudança", atesta Carla. Preste atenção somente quando o valor disponível para investimentos for pequeno, pois pode haver uma desvantagem na contratação do profissional. "O consultor poderá cobrar um honorário fixo, isto poderá reduzir a rentabilidade da carteira", explica a especialista.

Uma boa aliada dos consultores é a internet. Ferramentas online têm ajudado bastante a aproximar profissionais e clientes. "A oferta de cursos on-line, audiobooks, e-books e plataformas de ensino à distância tem facilitado em muito esse tipo de orientação", esclarece o consultor de finanças pessoais Cléber de Miranda. Há, ainda, os consultores pessoais que trabalham com treinamento de clientes, para que estes possam organizar as finanças sem dependerem tanto de um personal financial advisor. "Eu vendo o curso de Finanças Pessoais e auxilio a pessoa na organização das suas contas, pessoalmente e à distância", diz Cléber.

Conforme dados do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros, essa atividade requer consultores adequadamente qualificados e idôneos, capazes de avaliar as expectativas e necessidades de cada cliente e orientá-lo na escolha da melhor opção para investir seus recursos ou pagar suas dívidas. Fazer orçamento doméstico, assegurar o futuro dos filhos, garantir recursos para aposentadoria tranqüila. Planejar a médio e longo prazos passou a fazer parte da rotina do brasileiro.

Quer um motivo para contratar um consultor de finanças pessoais? Então veja oito: ele vai te ajudar a controlar o seu orçamento, eliminar gastos supérfluos, aprender a gastar com prudência, a manter-se sem dívidas, a eliminar os juros de sua vida, a poupar com sabedoria, construir um patrimônio e preparar sua independência. "Essa atividade surgiu para suprir uma necessidade advinda dos últimos anos. Os motivos para não procurar tais profissionais são apenas culturais. É um segmento de mercado que oferece a vantagem com em taxas diferenciadas, produtos personalizados e vantagens de atendimento exclusivo", ressalta Ronan. E Torralvo completa: "Uma coisa muito interessante que um planejador pode propiciar é um melhor entendimento da forma como lidamos com o dinheiro. Como é uma pessoa que enxerga as coisas fora da situação, ele consegue ver algumas coisas que muitas vezes não conseguimos notar. Assim, além de ajudar a planejar as finanças, ele pode auxiliar nesse quesito e também com situações pontuais ao longo da vida como trocar de carro, de casa".

A dentista Mariana Torres concorda com o especialista. "Eu mudei a forma de ver o meu dinheiro. Tenho uma visão crítica sobre como administrá-lo, independentemente da renda que eu tenha, pois o importante não é quanto ganho e sim como gasto. Eliminei despesas, coloquei minha conta em ordem e comecei a reservar". Já a fisioterapeuta Laura Veiga estava quase comprando um apartamento financiado quando, por sugestão do pai, resolveu ouvir a opinião de um especialista. "A avaliação dos meus gastos foi surpreendente. Eu não imaginei que gastava tanto com pequenas coisas", analisa Laura. O trabalho do consultor foi essencial para que a fisioterapeuta pudesse perceber que se poupasse um pouco e esperasse alguns meses, conseguiria quitar o negócio à vista.

Se você não consegue planejar sua vida financeira da maneira como gostaria, contratar um consultor pode ser uma boa opção. Lembre-se que a aquisição de um patrimônio é capaz de conferir segurança durante toda a vida, incluindo a viagem dos seus sonhos, os estudos dos filhos, a troca do automóvel, a casa na praia, a manutenção de um padrão de vida sem preocupações e tudo o que você se permitir e que um bom rendimento possa comprar.

Carolina Mouta

Fonte: bolsademulher.com

  voltar
   
 
Home
CDS Brasil
Empresa
Currículos
Parceiros
Links úteis
Serviços
Notícias
Notícias
Entrevistas
Entre em contato
CDS Brasil Soluções Financeiras
Rua Casa Forte, 708, Água Fria
São Paulo - SP - 02336-040
cdsbrasil@cdsbrasil.com.br
desenvolvido por